fbpx

Medo de cachorro? Saiba como tratar a cinofobia.

A fobia é um medo incontrolável e intenso. A pessoa sente temor excessivo de alguma situação, objeto ou animal, mesmo quando não há qualquer ameaça real ou aparente.

O medo é uma reação natural do corpo humano, resposta necessária para um perigo iminente. O problema é quando esse mecanismo é ativado sem qualquer necessidade. Ao se deparar com um cão grande e forte, que mostra sinais de agressividade, é normal sentir medo, mas, quando isso torna-se irracional é chamado de cinofobia.

As pessoas com fobia de cães ficam tão assustadas que, quando encontram um cão, fazem tudo o que podem para ficar longe deles. Isso acontece porque, para a pessoa, todo cachorro é visto como uma ameaça. Logo, nenhum cão é confiável e representa sempre um perigo.

Quer entender mais sobre essa fobia? Continue a leitura!

Como identificar a cinofobia

Para podermos entender melhor o que é a cinofobia, imagine a seguinte situação: você vai visitar um amigo e ao chegar na casa dele, um Husky Siberiano olha para você e começa a rosnar, indo em sua direção.

Nesta situação, por mais que você seja apaixonado por cães, é normal sentir medo. Agora, imagine que no lugar do Husky Siberinao estivesse um Shih-Tzu e que, em vez dele rosnar para você, ele simplesmente pulasse no seu colo, amigavelmente.

Para a maioria das pessoas, as situações causariam sentimentos distintos: no primeiro caso, o cachorro de fato representaria ameaça, ou seja, é um medo racional. Já na segunda situação, não há necessidade de se ter medo. Neste caso, o medo é irracional, logo a pessoa pode ter cinofobia, um problema psicológico que requer atenção.

Leia também: Agressão alimentar canina. Você sabe o que é?

Principais sintomas

A cinofobia é tão grave que chega a impactar o dia a dia da pessoa. Entre os sintomas estão:

  • Falta de ar;
  • Crise de choro;
  • Agitação e tremores;
  • Náuseas e desconforto gastrointestinal;
  • Sudorese;
  • Taquicardia;
  • Paralisia;
  • Desmaios.

Caso você apresente qualquer um desses sintomas, ao ver um cachorro, procure a ajuda de um psicólogo!

Causas da cinofobia

Muitas das vezes, a cinofobia está associada a um trauma. Nesse caso, é relativamente comum que alguém que tenha passado por alguma situação traumática com cães no passado, possa desenvolver esse medo irracional e generalizado de cachorros.

Porém, a fobia de cachorro pode também estar relacionada a causas indiretas, sendo necessária uma investigação mais aprofundada. Mesmo que nem sempre leve a quadros mais graves de medo de cachorro, a cautela excessiva dos pais, por exemplo, também pode contribuir para a cinofobia. Dependendo da educação adotada para prevenir contra ataque de cachorros, a criança pode crescer insegura e desenvolver um medo irracional de cães.

Então, atenção papais e mamães!

Como prevenir e tratar a cinofobia

O tratamento da cinofobia vai além do que colocar a pessoa frente a frente com um cão e dizer que ele é dócil. O medo, receio e pavor de cão não é frescura! É grave e requer cuidados específicos com profissionais da área.

Portanto, para tratar é importante investigar as possíveis causas, com a ajuda de um psicólogo. Uma vez identificada a fobia ou as suas possíveis origens, algumas técnicas podem ser adotadas, como a dessensibilização (criada por Joseph Wolpe, em 1958.) Esse método consiste em induzir o paciente a se imaginar na mesma sala com um cachorro, enquanto prática técnicas de respiração e relaxamento, para reduzir a ansiedade

Outro método utilizado é a terapia de exposição, ela ajuda as pessoas a perderem o medo de cachorro, aos poucos.

Vença esse medo de doguinhos. Eles são grandes aumigos para a vida toda! Se você conhece alguém que tem algum dos sintomas, compartilhe este texto.

Acesse o site da Plamev Pet e conheça os nossos planos de saúde!
Não deixe de acompanhar o nosso Instagram e Facebook para ter acesso a outros conteúdos e muitas novidades do mundo pet!

Plamev Pet, o jeito inteligente de cuidar do seu peludinho! 🐶🐱🐾